CANTOTO DO BLOG

CONTATO DO BLOG: oseias.ac@hotmail.com
orl.ac@hotmail.com

sexta-feira, 8 de março de 2013

EU ACHO QUE A PALAVRA CERTA PARA ELAS E MUITO OBRIGADO!


O que seriam nós, os homens, sem as mulheres? Primeiro: não haveríamos nascido! E mesmo que a nossa reprodução fosse assexuada, como a ameba, que quando cresce se divide em dois indivíduos iguais, onde estariam aqueles seres diferentes de nós, que não compreendemos direito, mas que esta incompreensão nos leva a busca, não de todo satisfeita, de saber por que elas são assim? Como viver sem aqueles seres que nos dão carinho, que cuidam de nós, e que apenas por delicadeza se fingem de fracas para que possa aflorar nosso instinto de proteção?
Sim, fingem-se de fracas, porque elas são muito mais fortes e capazes que nós, homens. Elas são capazes de suportar dores muito mais fortes do que os homens. Elas não abandonam as crias por motivos egoístas tão facilmente como nós, embora isto custe a sua felicidade como pessoa. Elas são capazes de desenvolver várias atividades ao mesmo tempo, como dar de mamar, atender ao telefone e mexer a panela de feijão, simultaneamente. Elas, recentemente, ao conquistar, lentamente o mercado de trabalho, têm demonstrado serem mais justas, éticas, comprometidas e competentes que a maioria dos homens. Elas suportaram, durante séculos, serem submissas aos seus maridos, sem quase nenhum direito e deveres muitos, sem autonomia financeira, dependendo do marido para tudo, e mesmo assim, ter que fazer amor sempre quando ele quer, e sem demonstrar que tem prazer. Oscar Wilde já dizia: “A história da mulher é a história da pior tirania que o mundo conheceu: a tirania do mais fraco sobre o mais forte.”

O que seria de nós, sem a delicadeza, a beleza, a compaixão e a harmonia das mulheres? Se pegam no nosso pé, muitas vezes, e provocam briga, creio até que é apenas para que possamos fazer as pazes (e como é bom fazer as pazes!). E, quando no nosso leito de amor, ainda achamos que as penetramos, mas na verdade, são elas que nos envolvem!

Muito obrigado, Deus, por ter criado Eva.

Em nome de Zenilde Ribeiro, minha amada e paciente mãe, parabenizo e sou grato a todas as mulheres.

Nenhum comentário:

Postar um comentário