CANTOTO DO BLOG

CONTATO DO BLOG: oseias.ac@hotmail.com
orl.ac@hotmail.com

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Artigo "O que aconteceu com as Artes Marciais tradicionais no MMA?"

O que aconteceu com as Artes Marciais tradicionais no MMA?


De acordo com as estatísticas no Sherdog.com, o índice de praticantes de artes marciais tradicionais entre os Wrestlers e especialistas em Jiu-Jitsu Brasileiro, caiu dramaticamente de 71% em 1994 para 19% em 1996, e ainda continua diminuindo. O que aconteceu?.
.
No início do esporte em 1993 [ano de lançamento do UFC], os lutadores de artes marciais tradicionais simplesmente não conseguiam evitar serem colocados para baixo por lutadores que sabiam lutar no chão. No entanto, sempre existirá a desculpa da comunidade praticante de artes marciais que seus melhores adeptos não participavam das lutas, ou se participavam, estavam fora de seus auges. Falando do UFC 7, um lutador de karate estava sendo considerado alguém que finalmente iria mostrar o potencial das artes marciais tradicionais numa luta. Seu nome era Ryan Parker.
.

Com 1,90 de altura, pesando 106Kg, Parker era o lutador de karate ideal. De acordo com o site GojuRyuKarateDo.com, "Ki ko" é o nível mais alto do karate de Okinawa [vale lembrar que o Goju Ryu é uma das escolas oriundas de Okinawa], praticado apenas por pessoas muito hábeis, e consiste em usar a energia interna (ki) para tornar seu corpo invulnerável a golpes e chaves. Ryan Parker era terceiro dan de faixa preta em Gojo Ryu karate, e fazia demonstrações recebendo severos golpes na barriga, garganta, joelhos, costelas e rins. Antes do evento, corria até o boato que Ryan havia aprendido a usar seu (ki) para resistir a sufocamentos, arm locks e nunca seria derrubado.
.
No primeiro round, ele enfrentou Remco Pardoel, um lutador de jiu-jitsu da Holanda, que rapidamente o empurrou para um dos lados do octágono e o derrubou com um estrangulamento. Depois disso, ficou claro que Ryan não tinha se tornado um mestre no uso do seu (ki) para resistir aquele estrangulamento em particular. A comunidade MMA nunca mais o viu depois disso e gradualmente percebeu que ninguém se ergueria para contradizer a evidência de que artes marciais tradicionais simplesmente não eram mais eficazes em um combate corpo-a-corpo, como todos acreditávamos. Mas porque elas não funcionaram tão bem quanto outros estilos, como o Jiu-Jitsu Brasileiro ou o Wrestling?


.Cartaz do Evento UFC 142
.

1) Treinamento: Como dizia Bruce Lee, "Saber não basta, temos que aplicar. Poder não basta, temos que fazer." A natureza coreografada de um treinamento na maioria das artes marcias é invariavelmente inadequada para preparar alguém para um conflito real contra um oponente. Estudantes de jiu-jitsu treinam eternamente e aperfeiçoam suas técnicas lutando contra outros estudantes que tem toda a intenção de evitar o sucesso das técnicas do oponente..

2) Técnicas Mortais: Alguém poderia pensar que quanto mais técnicas mortais um estilo tem, mais mortal ele é. No entanto, mortal ou não, técnicas precisam ser praticadas antes de serem usadas contra um oponente. Quanto mais mortal uma técnica, é mais provável que um praticante nunca tenha as experimentado de verdade. Qualquer parceiro de treinamente sairia correndo na hora de praticar suas "perfurações de olhos" ou "ataques na garganta", então tais técnicas tendem a se tonarem outra coisa que os praticantes de artes marciais acreditam poder usar em lutas, mas na verdade eles nunca tentaram. É melhor usar seu tempo para aprender técnicas que podem ser realmentes usadas em treinos.
.
3) Defesa de Quedas: Existem três fases em uma luta corpo-a-corpo: luta em pé, quedas e luta de chão. Cada estilo tem especializações em uma destas fases. A melhor estratégia para um praticante de um estilo é manter a luta na fase em que ele tem melhores chances. Artes marciais tradicionais geralmente assumem que o oponente lutam como eles querem e irão trocar chutes e socos, ao invés de simplesmente colocá-los para baixo. Em resumo seria: eles não sabem como lutar no chão e não sabem como evitar que sejam derrubados.
.
4) Tradição: Existe uma coisa que todas as artes marcias tradicionais não têm: tradição. Um estilo precisa ser "mente-aberta" diante das novas técnicas para se manter efetivo. Por exemplo, imagine que alguém um dia apareça com uma técnica de derrubar que é mais eficaz do que a do freestyle wrestling. Imediatamente os lutadores de wrestling incorporariam tal estilo ao seu treinamento. Lutadores de wrestling nunca virariam as costas para uma técnica devido à tradição. Eles estão preocupados com o que funciona ou não.
.
Resumindo, artes marciais tradicionais vão se extinguir no MMA simplesmente porque elas não são treinadas realisticamente. Como elas precisam que seus oponentes joguem nas suas regras, seus praticantes só treinaram dentro desta regra. Ainda, aprender como evitar que um lutador de wrestling te derrube significa treinar com um lutador da modalidade. Se isto conflita com a tradição, deixa de ser uma opção. Estes fatores simplesmente levam a um estilo que não é preparado para o combate real.

Nenhum comentário:

Postar um comentário